A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), por meio da Gerência Regional do Parque Estadual da Serra Azul, promoveu o curso de Manejo de Trilhas Terrestres em conjunto com ICMBio, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e Centro Universitário do Vale do Araguaia (UNIVAR). O treinamento evidenciou a importância do manejo sustentável, bem como do impacto financeiro positivo das trilhas no cenário do ecoturismo nacional e mundial.

“Percebemos a possibilidade da mudança de percepção do papel das trilhas, que passam a ser vistas como atrativos turísticos em si e não somente como infraestrutura de acesso”, destacou a gerente do Parque Serra Azul, Cristiane Schnepfleitner. Na programação foram tratados temas como: manual de sinalização de trilhas, roteiro metodológico para manejo dos impactos de visitação, fundamentos do planejamento de trilhas e rol de oportunidades de visitação. Toda parte de campo foi realizada na trilha da Cachoeira do Pé da Serra no interior do Parque.

Coordenado pela Analista Ambiental Carolina Potter de castro da ICMBio, o treinamento ocorreu entre 16 e 19 de fevereiro e teve como objetivo explorar as ferramentas para manejo de trilhas terrestres especialmente em unidade de conservação, com vistas ao Parque Estadual da Serra Azul.

Leia mais:  Projeto de unidade prisional leva reformas a instituições de Barra do Garças

Estiveram presentes, a voluntária do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães Franciane dos Santos Silva, o coordenador geral de Uso Público e Negócios do ICMBio Sergio Henrique de Collaço de Carvalho, o co-idealizador de trilhas de longo percurso no país (Transcarioca e Caminho de Cora) e diplomata de carreira Pedro da Cunha e Menezes.

Dezesseis pessoas participaram da capacitação entre guias de turismo, equipe do Serra Azul (servidores, estagiário, brigadistas e membros do Conselho Consultivo), graduandos do curso de Turismo da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat/Nova Xavantina) e proprietários de atrativos turísticos.

Todas as parcerias formadas entre as diferentes instituições públicas da sociedade civil e privadas contribuem para enriquecer aspectos da gestão do Parque Estadual da Serra Azul, visando a sua reabertura ainda no primeiro semestre de 2019.

O Parque

O Parque Estadual da Serra Azul, criado em 1994 por iniciativa popular, localiza-se nos municípios de Barra do Garças e Araguaiana e está inserido no Bioma Cerrado. Possui diversas espécies da flora e da fauna endêmicas, destacando a espécie de peixe denominada “Astyanax xavante”.

Leia mais:  “Sou leal com quem é leal a mim”, diz Jayme sobre racha no DEM

Com a proposta de oferecer segurança aos visitantes e cumprir as recomendações do Ministério Público Estadual (MPE), a Sema executou a reforma da guarita da entrada principal e toda a reestruturação da área da escadaria e do Mirante do Cristo Redentor. A unidade de conservação (UC) foi fechada em agosto de 2014 depois que um incêndio queimou 80% da cobertura vegetal da área.

Desde então, a Sema, por meio da Gerência Regional, em parceria com o MPE/MT – Comarca de Barra do Garças, vem desenvolvendo ações para a reabertura da UC. Em dezembro de 2017, foi reaberta a entrada ao Parque via Escadaria da Fé, após o término da construção da guarita, melhorias na escadaria e revitalização dos Mirantes do Cristo Redentor e da Nossa Senhora.

Comentários Facebook
Advertisement

Mato Grosso

Apiacás anuncia classificação de seletivo para credenciamento de fisioterapeuta

Published

on

A Comarca de Apiacás (963 Km da Capital) divulgou o resultado do processo seletivo para credenciamento de pessoa física na área de Fisioterapia. De acordo com a comissão de apoio ao seletivo, Antônio Carlos do Nascimento Lima é o profissional classificado. 
 
Conforme o juiz-diretor substituto do Fórum, Lawrence Pereira Midon, serão admitidos recursos no prazo de dois dias, contados da publicação do resultado final do processo. O profissional classificado atuará na unidade judicial.
 

Álvaro Marinho

Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT

[email protected]

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Leia mais:  MTI apresenta tecnologia do Nota MT aos representantes do Shopping Estação
Continue Reading

Mato Grosso

Violência doméstica: guia prático é lançado em colóquio da Rede de Enfrentamento

Published

on

Qual a porta de entrada para o atendimento de mulheres que sofreram uma violência doméstica? Após o primeiro contato para onde a vítima deve ser encaminhada? Há necessidade de solicitar medida protetiva? As respostas destas perguntas integram o fluxograma elaborado pela Rede de Acolhimento às Vítimas de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, publicado em um Guia Prático, lançado nesta quarta-feira (10).
 
O lançamento ocorreu durante o “Colóquio sobre Políticas Públicas e a Rede de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher”, realizado no Auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e organizado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar no âmbito do Tribunal de Justiça (Cemulher-MT) e demais integrantes da Rede de Enfrentamento.
 
“Este é o primeiro evento oficial da Rede Municipal de Cuiabá, uma oportunidade para discutirmos políticas públicas para avançar no enfrentamento da violência doméstica familiar e diminuir o número de casos”, afirma a coordenadora da Rede de Enfrentamento, a juíza da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Cuiabá, Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa. “A lei Maria da Penha completou 16 anos no dia 07 de agosto e apesar de ser considera a uma das três melhores leis do mundo, o Brasil ainda é o quinto país que mais mata mulheres.”
 
A magistrada explicou que há políticas públicas primárias, voltadas para a prevenção da agressão, as secundárias, que são direcionadas para população de risco e as políticas públicas terciárias, pensadas para pessoa que já sofreu a violência ou já praticou a violência. “Em 2021 a Lei Maria da Penha sofreu uma alteração. Agora há a obrigatoriedade de discutir nos bancos escolares a questão a violência doméstica. Dessa forma, tratamos do assunto com crianças para que no futuro não venha a reproduzir uma violência e ser processado ou para que não se torne uma vítima de violência doméstica familiar”, descreveu. A juíza cita os grupos reflexivos para homens agressores como um dos exemplos de políticas públicas terciárias.
 
Também participaram do evento a coordenadora do Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Estado de Segurança Pública (GGI/Sesp); major PM Monalisa Furlán, a promotora de Justiça Elisamara Portela e a defensora pública Rosana Leite.
 
A Rede de Enfrentamento foi criada pelo Cemulher-MT, coordenado pela vice-presidente do TJMT, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro. É composta por representantes de instituições envolvidas na causa de combate à violência contra a mulher (Judiciário, Defensoria Pública, Ministério Público, Polícia Militar, Polícia Civil, OAB, Secretaria da Mulher da mulher de Cuiabá e universidades).
 
O guia prático será digitalizado e ficará disponível no Portal do Cemulher. Conheça o site neste link. 
 
Agosto Lilás – O colóquio integra as ações programadas pela Rede de enfrentamento à violência doméstica contra a mulher para marcar o Agosto Lilás. Campanha criada para divulgar a sanção da Lei Maria da Penha (Nº 11.340/2006), que compeltou 16 anos de promulgação. O objetivo é sensibilizar instituições, gestores(as) e mulheres da sociedade sobre o tema. Visa também compartilhar dados e informações sobre a violência contra a Mulher no Estado, a implementação de políticas públicas, serviços e projetos sociais que se destacam na Rede de Atenção Integral às Pessoas em Situação de Violência.
 
#Paratodosverem Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Descrição de imagem: Foto1: Horizontal e colorida da abertura do colóquio. Sentadas em cadeiras estão a defensora, a juíza Ana Graziela com o microfone em uma das mãos, a promotora e a delegada Jannira Laranjeira. Foto 2: Vertical colorida. A juíza Ana Graziela concede entrevista. Foto 3: Vertical colorida. A promotora Elisamara fala com a imprensa. Foto 4: Horizontal colorida da defensora pública. Foto 5: Vertical colorida da coordenadora do GGI. Foto 6: Horizontal e colorida do guia prático em uma das cadeiras.
 
Leia outras matérias sobre o tema nos links abaixo:
 
 
Alcione dos Anjos/ Foto: Alair Ribeiro
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia mais:  Projeto de unidade prisional leva reformas a instituições de Barra do Garças

Comentários Facebook
Continue Reading

Mais Lidas da Semana