Mato Grosso

Mato Grosso tem roteiro para todo tipo de folião

Publicado em

Mato Grosso tem espaço para todos os tipos de foliões e oferece uma série de opções para quem quer aproveitar os dias de Momo como manda a tradição, nos bloquinhos e agitações, ou na tranquilidade, desfrutando da natureza e da possibilidade de fazer absolutamente nada durante o feriadão de 5 dias.

Para ajudar quem ainda está em dúvida sobre qual roteiro seguir, a Secretaria-adjunta de Turismo, vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), elaborou algumas sugestões que podem agradar diferentes perfis. Porém, aos que deixam tudo para última hora, os técnicos alertam que é preciso correr porque alguns destinos e atrativos já estão sem vagas disponíveis.

Folião tranquilão – Sombra e água fresca é o lema deste tipo de turista que quer usar o tempo livre para descansar sozinho ou em casal. Para ele, as pousadas de charme de Chapada dos Guimarães são uma boa pedida. Elas têm muito estilo e o clima ameno da cidade, distante cerca de 60 km de Cuiabá, é convidativo aos amantes de vinho.

Já para quem quer mesclar a tranquilidade com o contato com a natureza, uma boa opção é o circuito de cachoeira Carimã em Rondonópolis. O local tem 9 cachoeiras em menos de 3 km e oferece espaço para acampar e alojamento em pousada também.

Paredões embelezam o percurso até Chapada dos Guimarães

Folião pescador – Quem se interessa por pescaria pode aproveitar uma das inúmeras pousadas do Pantanal, que geralmente têm alojamentos confortáveis e disponibilizam passeios de barco e outras atrações.

E, para as pessoas que tentam sair um pouco do tradicional, existem ótimas instalações em São José do Rio Claro, onde é possível ver o fenômeno do rio que pega fogo, no rio Arinos.

Leia mais:  PM contabiliza 73 ocorrências por desobediências ao decreto que estabelece medidas de prevenção à propagação do coronavírus

Aos curiosos, existem vários vídeos na internet mostrando os canoeiros movimentando o fundo do rio com os remos e em seguida, aparecendo bolhas sobre a água que pegam fogo quando uma pequena tocha, amarrada em um galho de árvore, chega perto.

Vale lembrar que a região favorece também os observadores de aves e quem quer explorar a natureza.

Outra pescaria que pode ser um pouco diferente é na comunidade Piúva, que fica a 5 km de Barão de Melgaço. Lá, participar das tradições locais agrega valor ao passeio.

Cachoeira de Utiariti está no roteiro do turismo indígena

Folião de vivência – Para as pessoas que querem aprender, emergir em novas culturas e viver momentos únicos, o Turismo Indígena Rota dos Parecis é a melhor opção. Mas, para isto, é importante reservar um pouco de tempo e ter preparo físico porque ele demora cerca de 3 dias e envolve trilha, acampamento e rapel.

Neste roteiro, o turista irá visitar aldeias e assistir apresentações com dança, cânticos, histórias místicas, pinturas corporais e as demais atividades de uma aldeia. Há ainda trilhas e banhos em várias cachoeiras, mas em destaque está o Salto Utiariti.

Outro local que pode atrair este tipo de folião é a Comunidade de Mata Cavalo. A associações dos moradores, remanescentes de quilombos, oferecem a vivência dentro das famílias, presenciando as rotinas e aprendendo um pouco mais sobre a cultura deles. Neste caso, o passeio é operado pela própria comunidade.

Dolina Milagrosa está localizada em Cáceres, a menos de 200 km de Cuiabá

Folião radical – Este está com um cardápio cheio. Tem desde Jaciara, que já tem o nome solidificado como cidade dos esportes radicais a Chapada dos Guimarães, onde a subida do Morro São Jerônimo é um atrativo que conta com alto grau de dificuldade.

Leia mais:  Cinco veículos são localizados ou recuperados em Rondonópolis

Rafting, rapel e canoagem são oferecidos pelas operadoras de Jaciara. Vale lembrar que quando o passeio é feito em grupo, fica mais acessível em valores, porém nada impede o interessado faça amizade com um grupo formado pelos guias e siga rio abaixo. Como se trata de feriado, é preciso reservar com antecedência.

Outra alternativa calma, mas não menos radical é o mergulho em profundidade na Dolina Milagrosa em Cáceres. O local é belíssimo e torna essencial um self com os amigos para fazer o check in nas redes sociais.

Comunidade de São Gonçalo da Beira do Rio é acolhedora e traz peixarias conceituadas

Folião gastronômico – Se tem uma coisa que mato-grossense sabe cozinhar bem é peixe. Então, nada como aproveitar o feriado para comer bem nos restaurantes das comunidades ribeirinhas, como Passagem da Conceição e Bom Sucesso, em Várzea Grande. E não dá para se esquecer da rota do peixe, no tradicional bairro São Gonçalo Beira Rio, em Cuiabá.

Na lista de roteiros, dá para incluir ainda a comunidade de Varginha, em Santo Antônio de Leverger, onde há um carnaval tradicional com comida boa e farta.

Folião mega animado – Cuiabá terá uma vasta programação com o desfile de blocos de carnaval e ainda festejos na Orla do Porto, com atração nacional. Os espaços tradicionais, como a Praça da Mandioca, na área central, vão oferecer a matinê para as crianças. A festa infantil ocorrerá ainda em um shopping da cidade.

Em Chapada dos Guimarães, Nossa Senhora do Livramento e Santo Antônio de Leverger também haverá folia.

Comentários Facebook
Advertisement

Mato Grosso

Apiacás anuncia classificação de seletivo para credenciamento de fisioterapeuta

Published

on

A Comarca de Apiacás (963 Km da Capital) divulgou o resultado do processo seletivo para credenciamento de pessoa física na área de Fisioterapia. De acordo com a comissão de apoio ao seletivo, Antônio Carlos do Nascimento Lima é o profissional classificado. 
 
Conforme o juiz-diretor substituto do Fórum, Lawrence Pereira Midon, serão admitidos recursos no prazo de dois dias, contados da publicação do resultado final do processo. O profissional classificado atuará na unidade judicial.
 

Álvaro Marinho

Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT

[email protected]

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Sema abre inscrições para curso de Aperfeiçoamento e Atualização na Gestão Ambiental Municipal
Continue Reading

Mato Grosso

Violência doméstica: guia prático é lançado em colóquio da Rede de Enfrentamento

Published

on

Qual a porta de entrada para o atendimento de mulheres que sofreram uma violência doméstica? Após o primeiro contato para onde a vítima deve ser encaminhada? Há necessidade de solicitar medida protetiva? As respostas destas perguntas integram o fluxograma elaborado pela Rede de Acolhimento às Vítimas de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, publicado em um Guia Prático, lançado nesta quarta-feira (10).
 
O lançamento ocorreu durante o “Colóquio sobre Políticas Públicas e a Rede de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher”, realizado no Auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e organizado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar no âmbito do Tribunal de Justiça (Cemulher-MT) e demais integrantes da Rede de Enfrentamento.
 
“Este é o primeiro evento oficial da Rede Municipal de Cuiabá, uma oportunidade para discutirmos políticas públicas para avançar no enfrentamento da violência doméstica familiar e diminuir o número de casos”, afirma a coordenadora da Rede de Enfrentamento, a juíza da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Cuiabá, Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa. “A lei Maria da Penha completou 16 anos no dia 07 de agosto e apesar de ser considera a uma das três melhores leis do mundo, o Brasil ainda é o quinto país que mais mata mulheres.”
 
A magistrada explicou que há políticas públicas primárias, voltadas para a prevenção da agressão, as secundárias, que são direcionadas para população de risco e as políticas públicas terciárias, pensadas para pessoa que já sofreu a violência ou já praticou a violência. “Em 2021 a Lei Maria da Penha sofreu uma alteração. Agora há a obrigatoriedade de discutir nos bancos escolares a questão a violência doméstica. Dessa forma, tratamos do assunto com crianças para que no futuro não venha a reproduzir uma violência e ser processado ou para que não se torne uma vítima de violência doméstica familiar”, descreveu. A juíza cita os grupos reflexivos para homens agressores como um dos exemplos de políticas públicas terciárias.
 
Também participaram do evento a coordenadora do Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Estado de Segurança Pública (GGI/Sesp); major PM Monalisa Furlán, a promotora de Justiça Elisamara Portela e a defensora pública Rosana Leite.
 
A Rede de Enfrentamento foi criada pelo Cemulher-MT, coordenado pela vice-presidente do TJMT, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro. É composta por representantes de instituições envolvidas na causa de combate à violência contra a mulher (Judiciário, Defensoria Pública, Ministério Público, Polícia Militar, Polícia Civil, OAB, Secretaria da Mulher da mulher de Cuiabá e universidades).
 
O guia prático será digitalizado e ficará disponível no Portal do Cemulher. Conheça o site neste link. 
 
Agosto Lilás – O colóquio integra as ações programadas pela Rede de enfrentamento à violência doméstica contra a mulher para marcar o Agosto Lilás. Campanha criada para divulgar a sanção da Lei Maria da Penha (Nº 11.340/2006), que compeltou 16 anos de promulgação. O objetivo é sensibilizar instituições, gestores(as) e mulheres da sociedade sobre o tema. Visa também compartilhar dados e informações sobre a violência contra a Mulher no Estado, a implementação de políticas públicas, serviços e projetos sociais que se destacam na Rede de Atenção Integral às Pessoas em Situação de Violência.
 
#Paratodosverem Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Descrição de imagem: Foto1: Horizontal e colorida da abertura do colóquio. Sentadas em cadeiras estão a defensora, a juíza Ana Graziela com o microfone em uma das mãos, a promotora e a delegada Jannira Laranjeira. Foto 2: Vertical colorida. A juíza Ana Graziela concede entrevista. Foto 3: Vertical colorida. A promotora Elisamara fala com a imprensa. Foto 4: Horizontal colorida da defensora pública. Foto 5: Vertical colorida da coordenadora do GGI. Foto 6: Horizontal e colorida do guia prático em uma das cadeiras.
 
Leia outras matérias sobre o tema nos links abaixo:
 
 
Alcione dos Anjos/ Foto: Alair Ribeiro
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia mais:  Alunos indígenas mostram resultado de pesquisa sobre a própria etnia

Comentários Facebook
Continue Reading

Parque Berneck – Várzea Grande

Política MT

Mato Grosso

Policial

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana