Sem categoria

Glenn Close se torna atriz viva com mais derrotas no Oscar

Publicado em

No último domingo (24) aconteceu a 91ª edição do Oscar, uma das maiores premiações do ramo do entretenimento. Entre as preferidas para arrebatar o título de Melhor Atriz estava a veterana, nomeada sete vezes em diferentes edições, Glenn Close, que acabou sendo desbancada por Olivia Colman indicada por “A Favorita”.

Leia também: “Green Book” é o grande vencedor do Oscar 2019; veja lista dos premiados


Glenn Close é a mulher viva mais derrotada no Oscar
Reprodução Instagram

Glenn Close é a mulher viva mais derrotada no Oscar

Como Glenn Close
, existe um punhado de artistas que, apesar de conquistar o favoritismo do público, colecionam uma derrota atrás da outra na cerimônia do Oscar
. Em algumas ocasiões a decisão da academia repercute e acaba gerando reações nos cinéfilos que não se conformam com a decisão.

Leia também: Confira as melhores imagens da noite do Oscar 2019

Neste time de artistas que são recordistas em nomeações, mas nunca ganharam uma estatueta de ouro estão:

Peter O’Toole – 8 indicações


Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

Com oito indicações, Peter é de longe o líder do ranking. O artista foi nomeado na categoria Melhor ator por obras como “Lawrence da Arábia” (1962), “Becket” (1964), “O Leão no Inverno” (1968), “Adeus, o Sr. Chips” (1969), “A Classe Dominante” (1972), “The Stunt Man” (1980), “Meu ano favorito” (1982) e “Vênus” (2006).  Em 2002, o artista recebeu um prêmio honorário da academia por conquista vitalícia. Peter morreu em dezembro de 2013.

Richard Burton – 7 indicações


Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

O ator foi indicado pelas obras:  “O Manto Sagrado” (1954), “Becket” (1964), “O Epião que Veio do Frio” (1965), “Quem Tem Medo de Virginia Woolf?” (1966), “Ana Dos Mil Dias” (1969) e “Equus” (1977). Richard morreu em agosto de 1984.

Leia mais:  “Happy Hour” une política e amor para opor masculino e feminino nas relações

Glenn Close – 7 indicações


Glenn Close
Reprodução Instagram

Glenn Close

Entre as favoritas deste ano, Glenn foi desbancada por Olivia Colmann
. Ela já recebeu nomeações de Melhor Atriz por “Atração Fatal” (1987), “Ligações Perigosas” (1988), “Albert Nobbs” (2011) e “A Esposa” (2018). Na categoria Atiz Coadjuvante a Glenn foi noemada por: “O Mundo Segundo Garp” (1982), “O Reencontro” (1983) e “O Natural” (1984). Com a morte de Richard e Peter, Glenn ocupa atualmente o posto de atriz viva com mais derrotas na premiação.

Deborah Kerr – 6 indicações


Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

A atriz recebeu seis nomeações na categoria Melhor Atriz por: “Meu Filho” (1949), “From Here to Eternity” (1953), “O Rei e eu” (1956), “O Céu é Testemunha” (1957), “Mesas Separadas” ( 1958) e “Perigrino da Esperança” (1960). Em 1994, Kerr recebeu o prêmio honorário da academia por conquista vitalícia. Ela morreu em 2007.

Amy Adams – 6 indicações


Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

Conhecida do público, Amy já detém uma indicação na categoria Melhor Atriz por “Trapaça” (2013) e cinco de Atriz Coadjuvante por “Retratos de Família” (2005), “Dúvida” (2008), “O Vencedor” (2010), “O Mestre” (2012) e “Vice” (2018).

Albert Finney – 5 indicações

Leia mais:  Cinco famosos que roubaram a cena no MET Gala 2019

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

Icônico, Finney integra a lista de derrotados com obras como “Tom Jones” (1963), “Assassinato no Expresso do Oriente” (1974), “O Fiel Camareiro” (1983) e “À Sombra do Vulcão” (1984) indicadas na categoria de Melhor Ator. A quinta nomeação veio de “Erin Brockovich” (2000), filme pelo qual o artista foi indicado na categoria de Melhor Ator Coadjuvante.

  • Annette Bening – 4 indicações

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

A atriz foi indicada três vezes na categoria Melhor Atriz por sua participação em obras como “Beleza Americana” (1999), “Adorável Júlia” (2004) e “Minhas Mães e Meus Pais” (2010). A quarta indicação veio por “Os Imorais” (1990) na categoria Atriz Coadjuvante.

  • Ed Harris – 4 indicações

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

O ator foi indicado na categoria Melhor Ator pelo filme “Pollock” (2000). Na categoria Ator Coadjuvante ele brilhou pelos filmes “Apollo 13″ (1995), “The Truman Show” (1998) e “As Horas” (2002).

  • Michelle Williams – 4 indicações

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

Indicada na categoria Melhor Atriz por obras como “Namorados Para Sempre” (2010) e “Sete Dias com Marilyn” (2011), Michelle também se destacou por seus papéis em “Brokeback Mountain” (2005) e “Manchester à Beira-Mar” (2016), pelos quais foi indicada na categoria Atriz Coadjuvante.

  • Willem Dafoe – 4 indicações

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

Em seu histórico Willem Dafoe têm uma indicação de Melhor Ator por “No Portal da Eternidade” (2018) e três de Ator Coadjuvante por “Platoon” (1986), “Shadow of a Vampire” (2000) e “Projeto Flórida” (2017).

  • Bradley Cooper – 4 indicações

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar
Divulgação

Glenn Close e os mais perdedores do Oscar

Leia também: Oscar rechaça Netflix, mas se rende a Cuarón em edição de tendências opostas

Fechando a lista dos derrotados, que tem Glenn Close
como líder, está Bradley Cooper. O artista tem três nomeações na categoria Melhor Ator pelas obras “O Lado Bom da Vida” (2012), “Sniper Americano” (2014) e “Nasce uma Estrela” (2018). Já na categoria Ator Coadjuvante Cooper foi indicado por “Trapaça”  (2013).

Comentários Facebook
Advertisement

Política VG

Vereador/VG se “despede” de entidade; sai a Federal e mira votação histórica de Curvo

Published

on

Pré-candidato à Câmara Federal pelo PSB, o Vereador por Várzea Grande, Bruno Lins Rios se licenciou da UCMMAT (União das Câmaras de Mato Grosso), para alçar vôo  mais alto. Empossado na entidade em 2021, Rios terá pela frente dois adversários de peso no partido, sendo a primeira-dama de Rondonópolis, Neuma de Morais e o Deputado Estadual, Alan Kardec. O vereador poderá se engajar exclusivamente como representante de Várzea Grande, já que outro pretendente ao mesmo cargo, o Vereador Rogerinho Dakar (PSDB), vê sua sigla “derretendo”. A idéia de Bruno é “bombar” na cidade industrial, para isso vêm se cacifando financeiramente e logicamente formar dobradinhas, dentre as metas, uma delas é aproximar da histórica votação em 2006 do ex-vereador Chico Curvo, batendo 37 mil votos.

 

 

fonte Oempallador

Comentários Facebook
Leia mais:  Marvel resgata era dos supersalários em Hollywood; veja valores
Continue Reading

Sem categoria

Datafolha: 55% dizem que não votam em Bolsonaro de jeito nenhum

Published

on


source
Datafolha: 55% dizem que não votam em Bolsonaro de jeito nenhum
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 08.03.2022

Datafolha: 55% dizem que não votam em Bolsonaro de jeito nenhum

Dentre os pré-candidatos ao Palácio do Planalto,  o presidente Jair Bolsonaro é o que apresenta o maior índice de rejeição, aponta pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira: 55% dos entrevistados afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. O desempenho é melhor que o apresentado na última pesquisa do instituto, quando essa porcentagem chegou a 60%. As duas pesquisas, contudo, não são diretamente comparáveis, já que houve mudanças na lista de candidatos.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é quem ocupa a segunda colocação no ranking, com rejeição de 37%. Na sequência, vêm o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 30%; o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), com 26%; e o ex-governador Ciro Gomes (PDT), que registrou 23% no índice.

Em um segundo bloco, com números menores, estão o governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB), com 14%; Vera Lúcia (PSTU), que registrou 13% de rejeição; Simone Tebet (MDB) e Leonardo Péricles (UP), ambos com 12%; e Felipe D’Ávila (Novo), que marcou 11%.

Leia mais:  Famosos repercutem desaparecimento de Caroline Bettencourt

Leite, que perdeu nas prévias do PSDB para o governador João Doria, avalia um convite do PSD para concorrer à Presidência, além da possibilidade de concorrer pelo próprio PSDB no lugar de Doria — hipótese estimulada por aliados.

Leia Também

A baixa rejeição a nomes do segundo bloco, no entanto, passa também pelo grau de conhecimento desses pré-candidatos entre os eleitores. Lula é o mais conhecido pelos entrevistados: 99% disseram saber quem ele é. O presidente Jair Bolsonaro tem índice de 98%, enquanto 90% afirmaram conhecer Sergio Moro. Ciro Gomes tem 89% de conhecimento e Doria, 80%.

Dos entrevistados, 42% dizem conhecer o governador Eduardo Leite, 31% conhecem Vera Lúcia e 30%, Felipe D’Ávila. A senadora Simone Tebet registra índice de 28%, enquanto Leonardo Péricles tem 20% de conhecimento.

O Datafolha ouviu 2.556 eleitores em 181 municípios de todo o país entre terça e quarta-feira desta semana. A pesquisada foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-08967/2022. O nível de confiança do levantamento – isto é, a probabilidade de que ele reproduza o cenário atual, considerando a margem de erro – é de 95%.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Comentários Facebook
Continue Reading

Parque Berneck – Várzea Grande

Política MT

Mato Grosso

Policial

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana