Política Nacional

Ex-assessora liga Flávio Bolsonaro a laranjal do PSL e à milícia; senador rebate

Publicado em


Frente a acusações anteriores, Flávio Bolsonaro se disse
Divulgação/Alerj – 5.10.16

Frente a acusações anteriores, Flávio Bolsonaro se disse “vítima de uma campanha difamatória” que visa atacar o governo de seu pai

A revista IstoÉ
publicou nesta sexta-feira (22) uma reportagem na qual afirma que o senador e filho do presidente da República, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), tem ligações com o esquema de candidaturas de laranjas do PSL no Rio de Janeiro. Para a IstoÉ
, funcionárias também apontam ligação de Flávio com a milícia.

Leia também: MPRJ define novo promotor para investigação envolvendo senador Flávio Bolsonaro

A assessoria de imprensa de Flávio Bolsonaro
divulgou uma nota à imprensa rebatendo as acusações feitas pela revista. “A revista faz uma ilação irresponsável tentando vincular o senador Flávio Bolsonaro com candidaturas irregulares e a milícia carioca em mais uma tentativa de denegrir a imagem do senador”, diz o texto.

A reportagem se baseia no fato de que Valdenice de Oliveira Meliga, conhecida como Val Meliga, era assessora de confiança de Flávio Bolsonaro e responsável pelas contas de campanha do então candidato a senador, inclusive assinando cheques em seu nome.

Leia mais:  Eduardo Bolsonaro é reconduzido à liderança do PSL na Câmara

Um dos cheques assinados por Val, no valor de R$ 5 mil, é destinado à empresa Alê Soluções e Eventos LTDA, que pertence a Alessandra Cristina Ferreira de Oliveira, também funcionária do gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Alessandra era também tesoureira do PSL no período da campanha.

Sua empresa fez a contabilidade de Flávio e de outras 42 campanhas eleitorais do PSL no Rio, ou seja, um quinto das candidaturas do PSL passaram pelas mãos de Alessandra. Dessa forma, a mesma pessoa responsável por entregar e distribuir os recursos do partido recebia parte do dinheiro de volta para as contas de sua própria empresa.

De acordo com levantamento da IstoÉ
, de todas as candidatas que contrataram Alessandra, mais de 95% receberam menos de dois mil votos, o que remete ao possível uso de laranjas para fazer retornar ao PSL dinheiro do fundo partidário. O PSL já está sendo investigado pelo uso de candidatas laranjas
em Pernambuco. O caso, junto a outros fatores, resultou na queda do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno
.

Leia mais:  Bolsonaro diz que vai apresentar ao mundo Brasil em construção

Além disso, segundo a IstoÉ
, Val Meliga tem dois irmãos supostamente milicianos. A ligação com a milícia
também é reforçada pela revista pelo fato de que a empresa de Alessandra é sediada em uma região dominada pela milícia no Rio.

Alessandra Oliveira disse à revista que não enxerga conflito ético no fato de ser ao mesmo tempo tesoureira do partido, funcionária de Flávio Bolsonaro e ter contratado sua empresa para fazer a contabilidade das campanhas.

A assessoria de Flávio afirma que como Val é tesoureira do PSL, tinha como determinação legal assinar cheques do partido, não em nome do senador. A nota reforça que as prestações de contas eleitorais do partido e do senador foram aprovadas.

Leia também: Procuradoria vai apurar suspeita de lavagem de dinheiro de Flávio Bolsonaro

Os supostos irmão milicianos de Val, segundo a equipe de Flávio Bolsonaro
, são policiais militares. O texto diz ainda que o senador repudia as acusações e clama por uma apuração correta, responsável e honesta dos fatos.

Comentários Facebook
Advertisement

Política Nacional

Ciro propõe programa de renda de R$ 1 mil para famílias carentes

Published

on

 Ciro Gomes
Divulgação

Ciro Gomes

O candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes , afirmou nesta quarta-feira que deve propor, caso seja eleito, um programa de renda mínima de R$ 1 mil reais para famílias de baixa renda. Segundo o pedetista, o benefício substituiria o Auxílio Brasil, cujo valor hoje é de R$ 600 reais. O presidenciável disse que os cálculos feitos por sua campanha indicam que será possível aumentar o valor do benefício social.

A proposta de um programa de transferência novo já havia sido anunciada pelo presidenciável durante o período da pré-campanha e consta no programa de governo do pedetista, divulgado na terça-feira. No entanto, Ciro ainda não tinha informado qual seria o valor do auxílio.

“Esse programa de renda mínima, nossos primeiros ensaios estão chegando à possibilidade de nós chegarmos a R$ 1 mil por domicílio para todas as famílias carentes do Brasil”, disse Ciro, durante um evento de entidades de auditores fiscais, em Brasília.

O pedetista, no entanto, não informou quantas pessoas seriam beneficiadas pelo programa.

Leia mais:  Eduardo Bolsonaro é reconduzido à liderança do PSL na Câmara

Para custear o programa, Ciro quer unificar o Auxílio Brasil, sucessor do Bolsa Família, com os demais benefícios sociais, como a aposentadoria rural e o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Além disso, pretende conseguir o restante dos recursos com a taxação de grandes fortunas, que seria implementada após a reforma tributária defendida por Ciro. O pedetista defende uma alíquota de, no mínimo, 0,5% sobre bens acima de R$ 20 milhões.

Pelas contas do presidenciável, a medida, que atingiria cerca de 60 mil contribuintes, pode gerar aproximadamente R$ 60 bilhões em receita. Seria com esse montante que Ciro custearia seu programa de renda mínima.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Continue Reading

Política Nacional

Deputado David Miranda está internado em estado grave

Published

on

David Miranda está na UTI
Reprodução

David Miranda está na UTI

Nesta quarta-feira (10), o jornalista Glenn Greenwald contou que o seu marido, o deputado federal David Miranda (PDT), está internado em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital no Rio de Janeiro. O parlamentar foi hospitalizado no último sábado (6).

Em vídeo publicado nas redes sociais, Gleen relatou que o deputado foi a um evento e passou a sentir fortes dores na região do estômago. Por causa disso, ele precisou ser encaminhado a uma emergência, causando preocupação em toda a família.

“Nas 48 horas seguintes nada melhorou, tudo estava piorando, estado grave (…) Hoje foi o primeiro dia que as coisas pararam de piorar, os exames estão mostrando algumas melhoras”, contou o jornalista.

“David continua internado no hospital, na UTI, com uma série de complicações envolvendo uma infecção. O que quer que acredite, quaisquer pensamentos, orações, amor serão apreciados. David é a pessoa mais forte que conheço e está lutando como sempre, mas poderia usar todo o apoio”, explicou Green.

Leia mais:  Eleições 2022: Doria admite possibilidade de ser vice de Tebet

Assista ao vídeo:

David já tinha relatado que estava internado em um hospital, publicando um vídeo na cama. Ele lamentou que não teve a oportunidade de participar da Parada LGBT de Niterói e que estava se cuidando.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Continue Reading

Parque Berneck – Várzea Grande

Política MT

Mato Grosso

Policial

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana