conecte-se conosco


Policial

Estado insere DNA de 1.500 condenados por crimes hediondos em banco nacional

Publicado

Hérica Teixeira | Sesp-MT 

 Em seis meses, Mato Grosso cadastrou no Banco Nacional de Perfis Genéticos os genes de 1.500 reeducandos condenados por crimes hediondos e de grave ameaça. A ação atende à determinação do Ministério da Justiça e Segurança Pública, órgão do Governo Federal, conforme a Lei nº 12.654, sancionada em 2012, que visa compartilhar e comparar perfis genéticos para ajudar na apuração criminal e no processo de investigação. As informações são sigilosas.

No Estado, foram inseridos no sistema pessoas custodiadas das unidades Ana Maria do Couto May (feminino), Penitenciária Central do Estado (PCE) e Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC). O trabalho de inserção na Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG) começou em maio deste ano e é resultado da parceria entre a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), por meio da Adjunta de Administração Penitenciária (SAAP), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e o Tribunal de Justiça (TJ-MT).

“Criar um banco de dados nacional com o registro dos autores de delitos criminais graves é um importante passo para a segurança pública no país. Os profissionais de Mato Grosso se empenharam para atender a demanda de atendimentos e isso demonstra também o comprometimento das instituições envolvidas”, revela o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Leia mais:  Homicídios têm redução de 8% no primeiro trimestre em MT

Mato Grosso integra um dos 18 laboratórios credenciados pela rede integrada. São considerados hediondos os crimes de homicídio, roubo seguido de morte, estupro e genocídio. Mato Grosso têm uma população carcerária de 12.221 mil pessoas, entre homens e mulheres, em 53 unidades penais.

“A lei que trata da coleta do perfil genético é de 2012. Desde então, até houve tentativas dos órgãos dos Estados em fazer valer a lei, mas a demanda esbarrava na falta de informações. Mas em 2019, o Governo Federal começou a cobrar a aplicação da lei nos Estados e os órgãos envolvidos se uniram para garantir que o trabalho fosse efetivado”, explica a coordenadora de Perícias em Biologia Molecular da Politec, Kesia Renata Lopes Lemes Melo.

Segundo dados do Ministério da Justiça, divulgados em novembro deste ano, o Banco Nacional de Perfis Genéticos conta com 17.361 perfis de condenados cadastrados. Ainda segundo o órgão federal, estima-se que há 137.600 condenados nessas condições no Brasil e que deveriam ser identificados pelo perfil genético, de acordo com a Pesquisa Perfil de Laboratórios de DNA, realizada em fevereiro de 2018 pelo Comitê Gestor e a Secretaria Executiva da RIBPG.

Leia mais:  Deletran alerta para o compartilhamento de notícia falsa referente a fiscalização

O secretário adjunto de Administração Penitenciária, Emanoel Flores, ressalta que o trabalho de coleta de material genético não alterou as atividades desenvolvidas internamente nas unidades. “O Sistema Penitenciário atuou em conjunto para cumprir a meta do Ministério da Justiça, movimentando a massa carcerária sem nenhuma alteração ao funcionamento dos estabelecimentos penais”.

O trabalho de coleta das amostras já foi encerrado neste ano, mas para 2020, a meta é realizar outros mil atendimentos.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Policial

Polícia Civil identifica grupo criminoso envolvido em roubos e homicídio em Sinop

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil avança nas investigações contra um grupo criminoso envolvidos em vários cries de roubos a comércios e propriedades rurais no município de Sinop (500 km ao Norte da Capital). O mesmo grupo seria responsável por um homicídio, ocorrido no último dia 07 de dezembro, em que o corpo da vítima foi carbonizado dentro de um veículo.

Os trabalhos resultaram na prisão de Douglas Rodrigo Neves dos Santos, apontado como um dos integrantes de quadrilha. Ele foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e munições e também estava com mandado de prisão em aberto por outro crime.

As investigações iniciaram para apurar diversos roubos realizados em estabelecimentos comerciais e imóveis rurais na região. De acordo com as investigações, os integrantes do grupo são extremamente violentos e utilizam armas de fogo para a prática dos crimes.

Segundo o delegado, Ugo Ângelo Reck Mendonça, o grupo é responsável por pelo menos 4 roubos ocorridos recentemente em Sinop e região.

Leia mais:  Diretoria entrega troféus às equipes vencedoras do 9º Jogos da Polícia Civil

“Eles praticaram o roubo a uma fazenda na cidade de Feliz Natal, ocorrido no dia 15 de novembro. Na ocasião, os criminosos subtraíram mais R$ 225 mil em produtos agrícolas que haviam chegado à propriedade no dia anterior”, disse o delegado.

Na ocasião, o gerente e um funcionário da fazenda foram rendidos pelos criminosos e obrigados a carregar o veículo com os defensivos. Durante as investigações, vários produtos roubados pelos suspeitos foram recuperados em ações da Polícia Civil e Militar.

Os produtos roubados foram localizados dias depois pela Polícia Militar, em uma casa no bairro Vila Santana, em Sinop, ocasião em que foram apreendidos 27 galões de 20 litros de veneno.

Na quarta-feira (11), os policiais da Delegacia Regional de Sinop realizaram buscas em uma residência, onde apreenderam diversos produtos roubados de propriedades rurais, como máquina de solda, compressores, cabos de energia, ferramentas e uma chave de veículo Landrover.

Homicídio

O grupo também estaria envolvido com o homicídio que vitimou, Augusto Marinho Ferreira, no último dia 07 de dezembro, quando o corpo da vítima foi encontrado dentro de um veículo carbonizado.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre mandados contra 4 envolvidos em homicídio no Cinturão Verde

A suspeita é que a vítima fazia parte do grupo e foi morta após uma discussão pela divisão dos bens. As investigações seguem em andamento pela Divisão Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) de Sinop. 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Casal é preso em Diamantino transportando tabletes de maconha e pasta base de cocaína

Publicado

Assessoria | PJC-MT

 

Um casal que fazia o transporte de substâncias entorpecentes, tipo maconha e pasta base de cocaína, foi preso em flagrante em uma ação da Polícia Judiciária Civil com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Diamantino (208 km a Médio-Norte de Cuiabá).

A ação resultou na apreensão de onze tabletes de maconha e uma barra de pasta base de cocaína e na prisão em flagrante de, Elton Martins Gomes e da sua companheira, Carla Taluani Santos, pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

A prisão do casal foi possível graças a investigações realizadas pela Delegacia de Diamantino que levantou informações de que os suspeitos estavam em um ônibus com destino a São José do Rio Claro, transportando grande quantidade de entorpecentes.

Com base na apuração, os policiais civis solicitaram o apoio da equipe da PRF para realizar a abordagem dos traficantes, na região da BR 364, em Diamantino. Conforme as investigações, o casal foi encontrado no interior do ônibus, com duas sacolas embaixo de suas poltronas, nas quais estavam armazenados os entorpecentes.

Leia mais:  Policiais civis recuperam veículo e prendem suspeito de furto

Diante das evidências, o casal foi conduzido a Delegacia de Diamantino, onde após ser interrogado pelo delegado, Marcelo Henrique Maidame, foi lavrado o flagrante de tráfico e associação para o tráfico.

 

 

 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Parque Berneck – Várzea Grande

Política MT

Mato Grosso

Policial

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana