Connect with us

O enfrentamento ao tráfico de pessoas é, hoje, uma questão que ocupa lugar de relevância no âmbito de políticas públicas. É também um desafio que os municípios e estados brasileiros tem tentado combater, por meio de ações efetivas e de planos de enfretamento desse delito. Em Várzea Grande o assunto tem sido tema de  capacitação de profissionais da área da Assistência Social e discussão em busca de soluções.

Nesta sexta-feira (22), a Secretaria de Assistência Social, por meio da Coordenação de Proteção Social, realizou uma Oficina de Capacitação sobre o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. A ação conta com as parcerias da Secretaria Estadual de Assistência Social e do Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas – CETRAP – órgão vinculado a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos.

A secretária de Assistência Social, Flávia Omar destacou a importância em se promover políticas públicas de enfrentamento e combate ao tráfico de pessoas, que além de ser um ato criminoso fere os princípios dos direitos humanos. “É necessário abordar a questão do tráfico de pessoas do ponto de vista diferenciado e as especificidades dos direitos das mulheres, crianças e adolescente, principalmente aquelas que se encontram em vulnerabilidade social. Precisamos estar atentos as formas como operam as redes criminosas e o perfil das vitimas aliciadas e exploradas. Por isso mesmo é importante a participação de toda a sociedade e organização de todas as esferas a fim de buscar meios para minimizar essas práticas abusivas”.

Flávia Omar disse ainda que em Várzea Grande a Administração Municipal esta atenta a esse fato e que tem buscado implantar projetos que fortalecem, principalmente, os vínculos familiares. “Programas como ‘Amigas Empreendedoras e ‘Juventude Ativa’ tem contribuído na proteção familiar ”, destacou.  

Leia mais:  Parcerias permitem ampliação de ações educacionais na Rede de Ensino de Várzea Grande

A Coordenadora do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, Dulce Regina Amorim, disse que as oficinas e capacitações em torno desse tema são de fundamental importância uma vez que buscam de forma conjunta ações que inibem de fato essa ação criminosa, embora que ainda efetivamente, não existem registros dessa ação no Estado.

“A maior dificuldade que enfrentamos hoje é a notificação, por isso, estamos há anos realizando um trabalho de capacitação junto aos profissionais que atuam na ponta, ou seja, aquelas que atendem as vítimas, para que possam detectar todas as manifestações que de fato comprove a situação de tráfico. Existem dados que não refletem a realidade por isso, é necessário que atendentes tenha a visão apurada para definir o que é considerado tráfico de pessoas e da importância da notificação ser feita de forma correta. E essa capacitação é forma de buscar e compartilhar as informações ” explicou Dulce Regina.

Já a representante da Secretaria Estadual de Assistência Social, Cristina Saito, disse que a participação de todos os poderes no enfrentamento dessa questão é uma forma de buscar meios e diretrizes para identificar os casos considerados tráfico, a fim de denunciar, processar e punir aqueles que cometem, este tipo de crime. “A secretaria de Estado de Assistência Social esta atenta a esse fato e é parceira de ações de combate a esse tipo de crime, que fere a honra e a dignidade das pessoas atingidas. Fico feliz em ver que Várzea Grande esta promovendo ações concretas e definindo ações de combate, não apenas ao tráfico de pessoas, mas também de crimes contra a sociedade de uma forma em geral”.

Leia mais:  REINAUGURADA A NOVA PRAÇA, FOI REVITALIZADA, REMODELADA E TEM A INTENÇÃO DE PROMOVER QUALIDADE DE VIDA PARA TODOS

VISITA: A representante da Secretaria Estadual de Assistência Social, Cristina Saito, foi convidada pela Secretária Municipal, Flavia Omar, para conhecer a estrutura física do prédio onde abriga o Programa Social ‘Caderno II’. Ela visitou todas as salas onde são realizadas as oficinas e conheceu de perto o trabalho que é realizado na instituição.

Flávia Omar explicou que um dos maiores desafios da instituição é formação humana do adolescente, resgate de valores e a formação da cidadania. “Temos a missão de estimular o jovem para o desempenho do seu papel na sociedade”, assegurou a secretária.

Já Cristina Saito se mostrou surpresa com tudo o que viu e elogiou a administração municipal em implantar ações de resgate social, promovendo nos jovens a motivação e o espírito empreendedor. “Várzea Grande tem promovido boas ações, que na prática estão dando resultados. O importante é o resgate do vínculo familiar. Os projetos já experimentados por Várzea Grande poderão servir de exemplo para outros municípios do Estado adotarem. São políticas públicas municipais experimentadas e que estão dando certo”, parabenizou.

Por: Katia Passos – Secom/VG

Comentários Facebook
Advertisement

Várzea Grande

Prefeito participa de formatura do Proerd e destaca combate às Drogas

Published

on

Alunos da Rede Municipal de Ensino de Várzea Grande participam, nesta e na próxima semana, da formatura do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd). A cerimônia, além de marcar o encerramento das aulas, serve como incentivo e reforço das lições transmitidas durante o projeto, cujo objetivo é realizar a prevenção contra drogas nas escolas. Nesta segunda-feira (8), a formatura aconteceu para os alunos do 5º ano da Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) José Estejo de Campos.

Presente no evento, o prefeito Kalil Baracat destacou a importância de projetos como o Proerd, que atuam na prevenção às drogas desde a infância, pois garantem para as crianças um futuro com mais possibilidades. “Ficamos muito felizes pela parceria com a Polícia Militar em diversos projetos que, como esse, ajudam a construir um futuro melhor para as nossas crianças”, afirmou.

Para o Secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (SMECEL), Silvio Fidelis, projetos como o Proerd se encaixam na missão de educar para a formação cidadã das crianças e adolescentes do Ensino Fundamental. “Temos como ideal uma educação que seja capaz de desenvolver tanto o pedagógico das crianças, quanto o social, e programas como o Proerd, conduzidos em parceria com a Polícia Militar, somam em direção a esse objetivo”, disse.

O Proerd tem como base metodológica o modelo de tomada de decisões, que ensina as crianças a refletirem sobre suas escolhas em quatro etapas: parar; pensar; analisar e ver. O objetivo é reforçar a autonomia e impedir que más escolhas sejam feitas por impulso ou pressão.

Leia mais:  REINAUGURADA A NOVA PRAÇA, FOI REVITALIZADA, REMODELADA E TEM A INTENÇÃO DE PROMOVER QUALIDADE DE VIDA PARA TODOS

“O trabalho do programa é realizado em uma pedagogia socioconstrutivista, de forma que a criança aprende tudo pela relação com o policial que vai à sala de aula, fardado, para as aulas”, explica o Cabo PM Romoaldo, instrutor do Proerd, e completa, afirmando que o programa também atua para conscientizar os alunos sobre suas responsabilidades com o meio escolar e com a comunidade, ensinando respeito e disciplina.

“Além dos benefícios para os alunos e a comunidade, o Programa também ajuda a polícia a se aproximar da sociedade, estabelecendo um vínculo entre as crianças e os instrutores policiais, incluindo estes agentes nas diferentes comunidades”, completa Romoaldo.

A professora Rose Araújo, do 5º ano, destaca que o projeto também ajuda na sala de aula, pois as crianças aprendem mais sobre respeito e disciplina. “Nossos alunos participaram bastante, aprenderam muitas coisas, então acredito que vão poder fazer escolhas melhores desde agora”, disse.

Para Nawaly Azevedo, mãe de Nauane Gabrielly, o projeto representou mudanças importantes na filha e um estímulo importante para que ela continue num caminho sem drogas e sem violência.

Além da formatura, a cerimônia marcou a premiação de dois alunos como destaques na redação, Filipe Franca e Yasmin dos Santos. Essa última disse que o programa a ajudou a ter mais responsabilidade e, principalmente, ser mais confiante de si. “Foi muito legal e acho que vai ser bom para o meu futuro, porque ensina coisas importantes”, completou.

Leia mais:  Homem mata esposa a facadas e é preso dormindo em VG

A Superintendente Pedagógica da SMECEL, Luz Marina da Silva, destacou o Proerd como um programa já tradicional na Rede Municipal e que se aprimora a cada ano. “Ficamos muito contentes de ver também a participação da comunidade, prestigiando aqui o evento, pois se trata de um programa com uma missão muito importante de afastar as nossas crianças das drogas e da violência”, concluiu.

O evento também contou com a participação da Banda de Música de Várzea Grande e do Superintendente de Cultura, professor Joilson. Os próximos formandos serão os alunos das EMEB Ana Francisca de Barros; Aristides Pompeo de Campos; Rita Auxiliadora de Campos Cunha; Faustino Antônio da Silva e Dirce Leite de Campos, respectivamente.

No segundo semestre de 2022, 26 turmas do 5º ano da rede municipal receberão o projeto, nas EMEB Demétrio de Souza; Heróclito Leôncio Monteiro; Manoel Correa de Almeida; Mercedes de Paula Sôda; Marilce Benedita de Arruda; Líbia da Costa Rondon; Lenine de Campos Póvoa e Lúcia Leite Rodrigues.

fonte – varzea grande mt gov

Comentários Facebook
Continue Reading

Várzea Grande

Três homens são presos por suspeita de falsificar diplomas em Várzea Grande (MT)

Published

on

Três homens foram presos em flagrante, nesta terça-feira (9), em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, sob suspeita de integrarem uma quadrilha de falsificação de diplomas e documentos, segundo a Polícia Militar.

De acordo com o 1º tenente Góes, o chamado inicial era para atender uma ocorrência de roubo de veículo. Contudo, quando os militares fizeram a abordagem do carro suspeito, encontraram diversos diplomas e documentos falsos.

Segundo o tenente, essa prática é conhecida como “golpe do seguro”.

“Tudo começou com uma ocorrência de roubo de veículo, que localizamos na Avenida Mário Andreazza em Várzea Grande. Fizemos a abordagem e dois suspeitos desceram do carro, então vimos que dentro do carro tinha diversos certificados. Eram falsificadores de documentos e estavam indo fazer uma entrega. Continuamos o acompanhamento e identificamos a pessoa que iria receber o certificado”, disse.

Os suspeitos irão responder pelos crimes de estelionato, falsificação de documento público, formação de quadrilha e roubo, de acordo com a PM.

fonte – g1

Comentários Facebook
Continue Reading

Mais Lidas da Semana