Sem categoria

Contribuinte pode direcionar até 20% do IPTU para programas socioculturais

Publicado em


Infelizmente poucos brasileiros sabem como destinar parte dos impostos para financiar programas socioculturais
Reprodução

Infelizmente poucos brasileiros sabem como destinar parte dos impostos para financiar programas socioculturais

Pela Renúncia Fiscal, quem quiser financiar projetos do terceiro setor pode utilizar parte do dinheiro pago de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para fazê-lo. A critério do próprio contribuinte, até 20% desse valor pode ser direcionado a programas socioculturais – e o único requisito é que esses projetos já tenham sido aprovados por leis municipais de incentivo fiscal.

Leia também: O que é, como é calculado, formas de pagamento: tudo sobre o IPTU 2019

Por falta de conhecimento ou pela burocracia, poucos brasileiros destinam parte dos impostos pagos (não somente o IPTU
) para financiar esses programas. Hoje, segundo a Receita Federal, cerca de 11 milhões de pessoas poderiam destinar até 6% do Imposto de Renda para projetos socioculturais, o que representa um potencial de mais de R$ 5,7 bilhão em doações. Mas menos de 1% desses contribuintes já aderiram a algum desses programas.

“Em São Paulo, por exemplo, existe o Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais, mas muita gente desconhece essa possibilidade. E a grande maioria das pessoas aceitaria participar de algum projeto social
se tivesse mais informações sobre isso”, comenta Douglas Nicolau, diretor da Incentiv, startup que conecta projetos aos interessados em promover uma sociedade mais responsável e humanizada.

Leia mais:  Apresentador da Globo está internado na UTI por causa do coronavírus

O contribuinte que quiser direcionar parte do IPTU pago a programas socioculturais pode acessar o site oficial da prefeitura de sua cidade para ler o regulamento e preencher os formulários necessários. Para os paulistas, basta buscar pela página do Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais
. As inscrições ficam abertas o ano todo.

Cálculo do IPTU 


Entre os fatores considerados para medir o valor do IPTU, estão o tamanho do terreno, o lugar e a área construída
iStock

Entre os fatores considerados para medir o valor do IPTU, estão o tamanho do terreno, o lugar e a área construída

Como é cobrado é um imposto
municipal, o valor do IPTU variade cidade para cidade. Para calculá-lo, é utilizado o chamado valor venal da propriedade, estabelecido pela própria prefeitura e que diverge do valor de mercado.

Entre os fatores considerados para medir esse valor, estão o tamanho do terreno, sua localização e a área construída, por exemplo. Depois dessa avaliação, esse número é multiplicado pela alíquota do IPTU referente a cada município.

Leia também: Movimento IPTU Justo ganha força em Pernambuco

Para consultar o valor a ser pago, o contribuinte deve acessar o site da prefeitura ou da Secretaria da Fazenda de sua cidade. Nesta época do ano, é comum que o link com informações sobre o IPTU esteja na página principal.

Leia mais:  Zilu Camargo dispensa sutiã em clique sensual e reflete: “infinitas alegrias”

À vista ou parcelado


Assim como o cálculo do valor do IPTU, as formas de pagamento também são definidas pela prefeitura de cada cidade
Reprodução

Assim como o cálculo do valor do IPTU, as formas de pagamento também são definidas pela prefeitura de cada cidade

Bem como o cálculo do valor do IPTU, as formas de pagamento também são definidas por cada prefeitura. Normalmente, é possível quitar o imposto à vista, com possibilidade de desconto, ou parcelado em até dez ou 11 vezes, dependendo da cidade.

Leia também: Distorções no IPTU têm relação direta com desemprego, diz advogado

Para saber a maneira mais vantajosa de pagar o IPTU
, o contribuinte precisa observar, em primeiro lugar, se tem dinheiro suficiente para quitá-lo de uma vez e se o desconto é realmente bom. De forma geral, se a porcentagem descontada é menor do que os rendimentos obtidos se o dinheiro estivesse aplicado, vale mais a pena parcelar o valor.

Comentários Facebook
Advertisement

Política VG

Vereador/VG se “despede” de entidade; sai a Federal e mira votação histórica de Curvo

Published

on

Pré-candidato à Câmara Federal pelo PSB, o Vereador por Várzea Grande, Bruno Lins Rios se licenciou da UCMMAT (União das Câmaras de Mato Grosso), para alçar vôo  mais alto. Empossado na entidade em 2021, Rios terá pela frente dois adversários de peso no partido, sendo a primeira-dama de Rondonópolis, Neuma de Morais e o Deputado Estadual, Alan Kardec. O vereador poderá se engajar exclusivamente como representante de Várzea Grande, já que outro pretendente ao mesmo cargo, o Vereador Rogerinho Dakar (PSDB), vê sua sigla “derretendo”. A idéia de Bruno é “bombar” na cidade industrial, para isso vêm se cacifando financeiramente e logicamente formar dobradinhas, dentre as metas, uma delas é aproximar da histórica votação em 2006 do ex-vereador Chico Curvo, batendo 37 mil votos.

 

 

fonte Oempallador

Comentários Facebook
Leia mais:  DJ Rennan da Penha deixa presídio em Bangu, onde estava desde abril
Continue Reading

Sem categoria

Datafolha: 55% dizem que não votam em Bolsonaro de jeito nenhum

Published

on


source
Datafolha: 55% dizem que não votam em Bolsonaro de jeito nenhum
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 08.03.2022

Datafolha: 55% dizem que não votam em Bolsonaro de jeito nenhum

Dentre os pré-candidatos ao Palácio do Planalto,  o presidente Jair Bolsonaro é o que apresenta o maior índice de rejeição, aponta pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira: 55% dos entrevistados afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. O desempenho é melhor que o apresentado na última pesquisa do instituto, quando essa porcentagem chegou a 60%. As duas pesquisas, contudo, não são diretamente comparáveis, já que houve mudanças na lista de candidatos.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é quem ocupa a segunda colocação no ranking, com rejeição de 37%. Na sequência, vêm o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 30%; o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), com 26%; e o ex-governador Ciro Gomes (PDT), que registrou 23% no índice.

Em um segundo bloco, com números menores, estão o governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB), com 14%; Vera Lúcia (PSTU), que registrou 13% de rejeição; Simone Tebet (MDB) e Leonardo Péricles (UP), ambos com 12%; e Felipe D’Ávila (Novo), que marcou 11%.

Leia mais:  Irmãs de Princesa Diana comparecem ao batizado secreto do filho de Meghan Markle

Leite, que perdeu nas prévias do PSDB para o governador João Doria, avalia um convite do PSD para concorrer à Presidência, além da possibilidade de concorrer pelo próprio PSDB no lugar de Doria — hipótese estimulada por aliados.

Leia Também

A baixa rejeição a nomes do segundo bloco, no entanto, passa também pelo grau de conhecimento desses pré-candidatos entre os eleitores. Lula é o mais conhecido pelos entrevistados: 99% disseram saber quem ele é. O presidente Jair Bolsonaro tem índice de 98%, enquanto 90% afirmaram conhecer Sergio Moro. Ciro Gomes tem 89% de conhecimento e Doria, 80%.

Dos entrevistados, 42% dizem conhecer o governador Eduardo Leite, 31% conhecem Vera Lúcia e 30%, Felipe D’Ávila. A senadora Simone Tebet registra índice de 28%, enquanto Leonardo Péricles tem 20% de conhecimento.

O Datafolha ouviu 2.556 eleitores em 181 municípios de todo o país entre terça e quarta-feira desta semana. A pesquisada foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-08967/2022. O nível de confiança do levantamento – isto é, a probabilidade de que ele reproduza o cenário atual, considerando a margem de erro – é de 95%.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Comentários Facebook
Continue Reading

Parque Berneck – Várzea Grande

Política MT

Mato Grosso

Policial

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana