conecte-se conosco


Economia

Bolsonaro zomba de Guedes em tom de ironia: ‘Achei alguém para te elogiar’

Publicado


source

Brasil Econômico

Dois homens apertando a mão: Bolsonaro e Guedes
Antonio Cruz/Agência Brasil

Bolsonaro zomba de Guedes e fala “até que enfim achei alguém para te elogiar”


“Até que enfim achei alguém para te elogiar”, ironizou Bolsonaro para  Paulo Guedes nesta quarta-feira (27). A brincadeira aconteceu logo depois que o ministro da Economia foi chamado de “fera” por um apoiador do governo nesta manhã, na portaria do Palácio da Alvorada, a residência oficial do Executivo.


Segundo informações do Uol, logo depois, o presidente elogiou o trabalho da equipe econômica e também criticou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

“Se não é o trabalho da equipe econômica [durante a pandemia do coronavírus], auxílio emergencial, socorro a pequenas e micro empresas, rolagem de dívida de estados… Tem um estado que aumentou imposto no Brasil. Sabe qual é? São Paulo. São Paulo aumentou barbaramente produto da cesta básica. Lamentavelmente. São Paulo está cobrando imposto até do cara que é deficiente e compra carro”.

Leia mais:  Carteira Verde e Amarela atenderá 30 milhões do auxílio emergencial, diz Guedes

Paulo Guedes foi alvo do bom humor de Bolsonaro depois da cerimônia de hasteamento da bandeira nacional, que aconteceu nesta manhã, no Alvorada. Em seguida, Guedes e os demais ministros se reuniram no chamado “conselho de governo” com Bolsonaro para discutir o rumo do país. 

Na portaria do palácio da Alvorada, Guedes falou com apoiadores e disse que estava otimista com a recuperação econômica do país e citou dados da criação de novos empregos.  “A economia está voltando em V como a gente achava que ia voltar. Mês passado foram 250 mil novos empregos, como o presidente falou, e 350 mil novas empresas.”

Já Bolsonaro, afirmou que, como forma de investimento , as empresas estrangeiras estão recomendando a compra de reais. “As empresas estão recomendando, lá fora estão recomendando comprar real, é isso?”, perguntou ele a Guedes. “Então, é mais uma sinalização de que está dando certo a economia nossa”, completou.

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Volks Caminhões e Ônibus vai investir R$ 2 bi no país nos próximos cinco anos

Publicado


source
Volkswagen Caminhões e Ônibus
Divulgação/Volkswagen

Volkswagen Caminhões e Ônibus

Confiante na retomada da economia, a Volkswagen  Caminhões e Ônibus vai investir R$ 2 bilhões no Brasil no período de 2021 a 2025. Os investimentos serão feitos, principalmente, na fábrica da empresa em Resende , no Sul Fluminense, para a qual serão contratados mais 550 funcionários. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira pelo presidente da companhia, Roberto Cortes.

Esse é o maior volume de investimentos já feito pela Volks Caminhões e Ônibus no Brasil em cinco anos. Nos ciclos anteriores, a companhia investia R$ 1,5 bilhão no período. Os novos aportes estão focados no desenvolvimento de novas tecnologias para melhoria da mobilidade, como veículos elétricos, e redução dos níveis de CO².

De acordo com o executivo, a empresa também investirá em digitalização , conectividade , em busca de transportes mais modernos e eficientes. Serão feitos investimentos ainda na internacionalização da marca.

Leia mais:  Governo quer acabar com fundo do FGTS voltado para Infraestrutura

A Volks iniciou recentemente a produção, em caráter experimental, do e-Delivery , o primeiro caminhão elétrico no país, já com encomendas que chegam a 1.600 unidades.

“Isso será sem dúvida, a grande vedete do próximo ano. Somos a primeira montadora brasileira a montar um produto no Brasil junto com os parceiros”, disse Cortes.

A maior parte dos 550 novos empregados para a fábrica de Resende — cerca de 290 — vai trabalhar na nova linha de produção do Meteor , modelo de caminhão lançado recentemente. A linha terá, inclusive, um segundo turno. Os demais contratados vão atuar nas demais linhas de produção da fábrica.

A companhia tem enfrentado faltas eventuais de insumos para a produção de seus veículos, mas isso vem sendo administrado, de acordo com o executivo, e não tem afetado sua produção. Segundo ele, as vendas do grupo tiveram uma queda menor do que o setor nos últimos meses.

As vendas de caminhões no Brasil caíram 13,9% neste ano, e a produção recuou de 25%. Na Volks Caminhões e Ônibus, a queda nas vendas foi de 7%. No caso dos ônibus, houve retração da ordem de 33% das vendas neste ano no país, enquanto a empresa vendeu 23%menos.

Leia mais:  Montou o negócio de madrugada e comprou empresa onde trabalhava: aprenda com ele

“Não digo que estamos bem, mas estamos melhor do que esperávamos. E esperamos que a recuperação continue em 2021. Estamos confiantes na recuperação da economia e estamos nos preparando para isso”, ressaltou Cortes.

O executivo acredita que esses níveis de venda serão logo recuperados. De acordo com ele, há um aumento na procura de caminhões por conta do aumento da movimentação de mercadorias no país.

“A confirmar o controle da pandemia, o crescimento acima do esperado do agrobusiness, a retomada da economia e, quem sabe, do apoio oficial do programa de renovação de frotas, vamos continuar investindo, crescendo e acreditando no nosso país”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Estados terão dez anos para ajustarem contas, propõe relator

Publicado


source
Mauro Benevides
Divulgação/Câmara dos Deputados

Relator pretende estender auxílio para estados de seis para dez anos

O relator do projeto de lei que muda as regras do Regime de Recuperação Fiscal (RRF) , deputado Mauro Benevides Filho (PDT-CE) , propôs que o programa de auxílio federal a estados passe a ter validade de até dez anos. Hoje, o período máximo é de seis anos.

A previsão consta do parecer publicado nesta quinta-feira pelo parlamentar. A expectativa é que o texto, que está em regime de urgência, seja votado na Câmara dos Deputados na próxima segunda-feira.

A proposta é observada de perto pelo estado do Rio, hoje o único a ter ingressado no RRF. O regime, criado em 2017, permite que o ente beneficiado fique sem pagar as parcelas da dívida com a União. Como contrapartida, precisa implantar uma série de medidas de ajuste fiscal, como cortes em benefícios fiscais e redução de despesas.

Leia mais:  Montou o negócio de madrugada e comprou empresa onde trabalhava: aprenda com ele

Inicialmente, Benevides defendia ampliar menos o prazo de duração do programa para algo entre oito anos e meio e nove anos. Mas a ideia sofria resistência de estados como o Rio , Minas Gerais e Rio Grande do Sul , que pleiteiam a entrada no regime. Goiás, também interessado, afirma ser capaz de equilibrar as contas públicas e em menos tempo.

No modelo proposto pelo deputado, o programa terá oficialmente nove anos, mas os estados terão prazo de até um ano para finalizar um plano de ajuste. Nesse período de preparação, já serão beneficiadas pelo alívio no pagamento da dívida.

O Rio ingressou no RRF em setembro de 2017. Pelas regras atuais, o estado teve direito a três anos de suspensão no pagamento da dívida, prorrogáveis por mais três anos. O prazo inicial, portanto, se encerrou em setembro deste ano.

Para garantir a permanência no regime atual por mais três anos, o governo fluminense deve apresentar novo plano de ajuste. Esse trâmite deveria ter sido feito até setembro, mas o estado garantiu uma extensão dos benefícios graças a uma decisão liminar do Tribunal de Contas da União (TCU) .

Leia mais:  Mais de 200 mil pessoas devolveram pagamentos indevido, afirma TCU

Caso o projeto de lei com as novas regras seja aprovado, o Rio apresentará um plano de ajuste considerando o prazo de dez anos para promover as medidas de ajuste.

Comentários Facebook
Continue lendo

Parque Berneck – Várzea Grande

Política MT

Mato Grosso

Policial

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana