conecte-se conosco


Tecnologia

5G só deve chegar em 2021 no Brasil; entenda influência norte-americana

Publicado

source

Olhar Digital

5G arrow-options
Pixabay

Leilão do 5G deve ser adiado no Brasil.


Por mais que a tecnologia 5G esteja se popularizando no mundo todo, o Brasil  parece ter ficado de fora de sua implementação, pelo menos por enquanto. Operadores de telefonia, fornecedores de equipamentos e fabricantes de smartphones já consideram como adiado para 2021 o leilão da tecnologia 5G no país.

O governo, por sua vez, nega o adiamento, mas, de acordo com empresas do setor, foram enviados informações de que o presidente Jair Bolsonaro dará mais um ano para que as companhias de telecomunicação americanas possam aprimorar sua tecnologia de conectividade 5G. O objetivo é permitir que os EUA possam competir com a Huawei pelo fornecimento de equipamentos de rede no Brasil.

Com o recebimento de um prazo maior, fica claro que há um comprometimento com a manutenção das relações alcançadas entre Bolsonaro  e Trump , atual presidente dos Estados Unidos.

Leia também: EUA pressionam Brasil para vetar entrada da Huawei no mercado do 5G

Pessoas ligadas diretamente às conversas entre os dois governos afirmam que os americanos pediram que a votação fosse adiada em dois anos. Esse pedido faz parte do plano dos EUA de impedir que a Huawei atue em mercados 5G de aliados, após as acusações de espionagem feitas pelo governo norte-americano aos chineses.

Rumores apontam que representantes do governo Trump fizeram com que Bolsonaro ficasse sabendo que a parceria estratégica firmada com os EUA estaria comprometida se um acordo com um “rival” fosse firmado e o equipamento 5G fosse fornecido.

Leia mais:  Tudo o que você precisa saber antes de comprar um nobreak

A proibição da Huawei por aqui seria um passo importante nos planos do presidente norte-americano em fazer com que a empresa perca território no fornecimento de tecnologia. O Brasil, por conta do tamanho de seu mercado interno, pode definir o padrão de rede na América Latina.

Leia também: Quando o 5G chega ao Brasil? Anatel adia abertura de edital mais uma vez

Como exemplo da influência do Brasil, em 2006, com a chegada do modelo de TV digital japonês por aqui, outros países da América Latina acompanharam nossa decisão e adotaram o modelo do país asiático.

Os equipamentos fornecidos pela Huawei são os preferidos, pois são menores, mais baratos e mais potentes. A empresa já se encontra em 60% das redes das operadoras brasileiras, porém, com esse pedido dos EUA, o futuro pode ser diferente. Mesmo assim, as operadoras tendem a comprar tecnologia da empresa que oferece o melhor custo-benefício. Atualmente, quem oferece tudo isso é a Huawei.

Bom para o Brasil

Enquanto ajuda os americanos, a medida do adiamento também pode beneficiar o mercado brasileiro. Isso porque, para as empresas de telecomunicação que atuam no país, a grande barreira para a implementação do serviço é a instalação de novas antenas, que hoje estão a cargo das prefeituras.

Leia mais:  Black Friday 2019: veja como achar as promoções perfeitas para você

Para que o 5G funcione de forma satisfatória, é necessário que o número de antenas instaladas suba em dez vezes. Porém, muitos municípios não permitiriam isso, devido a preocupações com questões de saúde que envolvem a irradiação dos sinais desses equipamentos.

Leia também: Já está na hora de comprar um celular compatível com o 5G?

Outro problema que deve ser resolvido é o uso da frequência de 3,5 GHz. Atualmente, essa faixa é usada por satélites e antenas parabólicas. Isso poderia atrapalhar a disseminação do sinal em algumas localidades. O adiamento do leilão poderia ser usado para resolver essa questão.

Por parte da Agência Nacional de Telecomunicações ( Anatel ), também há pendências. Questões regulatórias em relação à oferta de conteúdo via internet não foram resolvidas. Ainda não se sabe se a transmissão de conteúdo de TV pela internet vai se enquadrar na categoria de TV por assinatura .

Sendo adiado ou não, o leilão das frequências do 5G é um grande passo para o futuro das conexões de dados no Brasil . Resta saber se o país vai querer manter sua boa relação com os EUA e não utilizar a tecnologia da Huawei por aqui ou se vai prezar pela evolução tecnológica que o 5G pode trazer.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Segurança para mulheres em um clique: conheça a tecnologia Malalai

Publicado

source
Malalai arrow-options
Unsplash/Clayton Fidelis

Malalai visa dar mais segurança a pessoas que andam sozinhas


No final de novembro, o prêmio GOL Novos Tempos teve como principal homenageada a arquiteta e urbanista Priscila Gama , por sua contribuição para a segurança na mobilidade urbana com o aplicativo Malalai ( Android e iOS ).

Essa não é a primeira vez que Priscila é premiada por seu app , e provavelmente não será a última. “A coisa tomou uma proporção que nem se eu quisesse eu conseguiria largar tudo hoje”, brinca a mineira, se lembrando de quando teve a primeira ideia sobre a Malalai, no final de 2015. 

Malalai , que significa “atingida pela dor” e homenageia Malalai de Maiwand e Malala Yousafzai, é um aplicativo de mobilidade urbana que permite que os usuários – sobretudo mulheres – compartilhem suas rotas e enviem sinais de emergência para contatos próximos, a fim de gerar mais segurança. “Minha ideia era só oferecer companhia virtual para as mulheres”, conta Priscila. 

Leia também: Black Mirror? Aplicativo de namoro é desenvolvido com base no DNA dos usuários

A ideia surgiu depois que Priscila presenciou uma mulher sendo seguida de madrugada em uma rua próxima à sua casa, em Belo Horizonte, MG.

Na mesmo época, o coletivo Think Olga lançou a hashtag #PrimeiroAssédio , na qual mulheres eram convidadas a compartilharem situações de assédio nas redes sociais. Lendo muito relatos relacionados à mobilidade, a arquiteta teve certeza de que era hora de criar algo que mudasse a situação. 

Com apenas uma ideia em mente, Priscila se inscreveu em um concurso de startups , sem sequer sonhar que chegaria onde está hoje. “Nesse evento, normalmente, a galera ou é de business, ou é de tecnologia, ou é de design, eu não era de nenhum dos três”, brinca. 

Leia mais: 

Foi nesse concurso que ela conheceu seu atual sócio, Henrique Mendes, e a ideia foi, aos poucos, entre altos e baixos, saindo do papel.

“O Henrique levou um ano para aprender a fazer aplicativo para fazer o nosso”, lembra a arquiteta, rindo. “Então, tirar o negócio do papel incluiu aprender a desenvolver aplicativo”. 

Henrique e Priscila, sócios da Malalai arrow-options
Mario Ladeira/Divulgação

Henrique e Priscila, sócios da Malalai


Como funciona a Malalai

O objetivo da tecnologia Malalai é oferecer mais segurança para pessoas que querem ser livres para se deslocarem sozinhas . Através do aplicativo, os usuários podem adicionar até três pessoas de confiança, que são chamados de keepers .

Uma delas (que também precisa ter o app instalado) pode acompanhar as rotas que o usuário quiser compartilhar, enquanto as outras duas recebem apenas avisos de emergência. 

Leia também: Mariéme Jamme: vencedora, agora ela quer ensinar 1 milhão de meninas a programar

Toda vez que for iniciar um trajeto, o usuário pode pedir para que o keeper principal o acompanhe, e ele receberá o mapa com a rota em tempo real em seu celular.

Também dá para configurar um tempo após o fim da rota para enviar uma mensagem de emergência ao keeper principal. Caso se passe o tempo esperado para a conclusão do caminho e você ainda não tiver concluído, quem está acompanhando sua rota receberá um aviso de emergência. 

Além disso, o aplicativo possui um botão vermelho (que pode ser adicionado como atalho na tela principal do smartphone). Com apenas um clique nele, é possível avisar os três keepers que você se encontra em uma situação de emergência. 

Leia mais:  Tudo o que você precisa saber antes de comprar um nobreak

Leia também: Uber lança serviço de patinete elétrico no litoral paulista

Mapa da segurança

Outro aspecto bastante interessante do aplicativo é que ele funciona como um mapeamento coletivo . Todos os usuários do aplicativo podem visualizar e adicionar aos mapas das cidades avisos como “rua movimentada”, “assédio recorrente” e “má iluminação”. 

Malalai arrow-options
Captura de tela

Telas do aplicativo Malalai da esquerda para a direita: mapa colaborativo, configurações de emergência e configurações dos keepers


Priscila conta que um dos maiores objetivos da empresa hoje é conseguir melhorar esse mapeamento, incluindo informações que não dependam dos usuários e adicionando a possibilidade de pessoas incluírem dados diretamente na web , sem precisarem baixar o aplicativo.

Para encontrar boas soluções a esse desafio, eles planejam um hackathon no início de 2020. “O grande desafio é conseguir mostrar onde há movimento nas ruas e onde não há em tempo real”, conta. 

Leia também: Cidade italiana bane Google Maps depois de muita gente se perder

Mais do que um aplicativo

Outra novidade bastante interessante que Malalai traz é que a empresa não se trata apenas de um aplicativo .

Priscila, Henrique e sua equipe já desenvolvem jóias inteligentes , capazes de enviarem alertas discretos para celulares cadastrados. 

A principal delas é o anel, que está em produção e já tem cerca de 50 pessoas na fila de espera – é possível encomendá-lo pelo site da Malalai .

Conectado ao celular via Bluetooth , o anel consegue enviar mensagens de emergência para contatos cadastrados com apenas uma pressão sobre ele. 

Malalai arrow-options
Divulgação/Malalai

Quando pressionado, o anel envia uma mensagem de emergência aos contatos cadastrados


A expectativa é que a peça esteja disponível para venda no meio do ano que vem. Priscila conta que a equipe já pensa em outras opções também, como colares e chaveiros, que devem ter custos menores.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Brasileiro amoroso? Veja os emojis mais usados no país e no mundo em 2019

Publicado

source

Olhar Digital

emojis arrow-options
Unsplash/Bernard Hermant

Veja os emojis mais utilizados em 2019


O uso de emojis se tornou extremamente popular nos últimos anos, seja em postagens no Twitter ou em conversas no WhatsApp e outros aplicativos . Pensando nisso, o Twitter revelou os dez emojis mais usados no Brasil e no mundo em 2019. Entre os brasileiros, a lista mostra que os símbolos relacionados ao amor foram os mais presentes. O emoji mais usado pelos usuários é o do rosto sorridente com olhos de coração,  seguido pelo coração vermelho.

O levantamento do Twitter mostrou que, globalmente, os emojis mais usados foram outros. O líder no ranking mundial foi o rosto chorando de tanto rir, e o segundo lugar ficou com o ícone do rosto “chorão”.

Leia também: Como criar emojis animados para o WhatsApp

Mundialmente, o emoji mais usado no Brasil ficou apenas na terceira colocação. Já o rostinho chorando de rir, ícone mais usado no mundo, aparece na terceira posição entre usuários brasileiros.

Emojis mais usados no Brasil em 2019


Emojis mais usados no mundo em 2019

emojis arrow-options
Divulgação/Twitter

Emojis mais usados no mundo em 2019


De forma geral, os emojis mais populares são aqueles que expressam emoções e sentimentos, como sorrir, chorar, estar apaixonado e entediado. Nas duas listas o ícone de fogo também está presente.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Parque Berneck – Várzea Grande

Política MT

Mato Grosso

Policial

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana